quarta-feira, agosto 13, 2008

"A raiz de todos os males...

... é o amor ao dinheiro”, diz o apóstolo Paulo em 1Tm 6.6-10. Até parece que Paulo está exagerando, no uso de uma hipérbole. Mas, se analisarmos mais profundamente o assunto, verificaremos que ele está falando em termos bem realístas.

Sim, porque “dinheiro” não é apenas moeda, mas representa tudo que o dinheiro pode comprar: satisfação de caprichos, prazeres carnais, dominação, posse de bens sem limites, satisfação da vaidade, etc. Na busca de tais coisas o dinheiro é imprescindível; então amar essas coisas é amar o dinheiro, que pode comprá-las.

Em todo o texto citado não está o apóstolo fazendo apologia da pobreza, nem dizendo que é errado e pecaminoso ser rico. Grandes servos de Deus no passado e no presente têm sido homens riquíssimos. Abraão foi rico; Jó foi e voltou a ser depois de suas provações, mais rico ainda; Davi foi rico e Salomão mais ainda. Paulo viveu tanto em pobreza como em abundância – Fp 4.11-13.

O problema está no fato de alguém colocar seu coração nas riquezas. “Se as vossas riquezas aumentam, não ponhais nelas o coração”, diz o Salmo 62.10; “Não ajunteis tesouros na Terra... porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”, ensinou Cristo – Mt 6.19-21.

O que se observa no mundo confirma o ensino de Paulo; até pessoas inteligentes, possuidoras de boas qualidades morais, acabam se corrompendo quando passam a amar o dinheiro e a tudo o que o dinheiro pode proporcionar. Acostumam-se com um nível de vida alto, fora da realidade da maioria das pessoas a seu redor, e até dentro de nossas igrejas isso acontece.

A corrupção, que no Brasil se tornou a má cultura, generalizada e dominante, é um triste exemplo disso: pela ambição desmedida de uma minoria muito rica, a maioria vive na pobreza; a péssima distribuição de renda, a exploração do homem pelo homem; a pressa de enriquecer que leva muitos a usarem métodos inescrupulosos – lucro exorbitante, sonegação de impostos, contrabando, estelionato, peculato, etc. Pessoas pobres que não se conformam com a pobreza, nem esperam melhorar com a bênção de Deus, corrompem-se também. Mulheres se entregam à prostituição, homens e mulheres praticam toda espécie de delitos para conseguirem dinheiro e com o dinheiro conseguirem o que ambicionam. Políticos, para galgarem postos e poder, precisam de muito dinheiro e lançam mão de métodos escusos, ou usam postos e poder já conquistados para obterem mais dinheiro sem limites. Jovens pobres, que não tenham o temor de Deus e melhor formação moral, não podem conformar-se com a fome e a miséria, especialmente quando vêem outros com imensos recursos, esbanjando tudo o que está fazendo falta ao pobre; sucumbem diante do convite para optarem pelo roubo, furto, contrabando, tráfico de drogas, prostituição, etc.

Aqueles que fazem parte do povo de Deus estão imunes às tentações atrás citadas? Não! Até aquele que é realmente convertido pode cair em toda espécie de pecado, se descuidar-se de sua santificação e da resistência ao diabo (1Pe 5.8). Seja ele quem for dentro da Igreja, pastor inclusive. Ou decidimos pôr em prática em nossa vida o ensino de Paulo: “Tendo, porém, o sustento e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes” (1Tm 6.8), ou corremos o risco da decadência espiritual e moral, e é quase certo que isso acontecerá. Infelizmente isso tem ocorrido até com pastores.

Meu irmão, minha irmã, seja diligente: estude, trabalhe, planeje sob a orientação de Deus que nos ensina como ganhar e como administrar o dinheiro que nos é necessário; progrida em tudo, conforme a vontade de Deus, inclusive profissional e materialmente, mas “não ponhais nas riquezas o coração”.

Se você se tornar rico pela bênção de Deus e não pela usura, nem pela ambição, nem pela astúcia, lembre-se de que essa riqueza também é de Deus, e você é apenas o mordomo. Administre-a e use-a honestamente e para a glória de Deus. Você estará ajuntando tesouros no Céu – Mt 6.19.

4 comentários:

* O Cantinho da Lia * disse...

Oi Rubens...
Só hoje vim conhecer este Blog...só conhecia o outro.É que muitas vezes passamo0s pelos blogs dos amigos e olhamos somente as postagens, e deiuxamos de ver o conteúdo todo do blog...
Não sabia que vc é Pastor...
Qdo criança eu frequentei a Igreja Presbiteriana Independente, aqui na cidade de Avaré...
Até hoje me lembro de minha primeira bíblia, que ganhei no dia 08/08/88(pela data impossível esquecer né)...
Quem me deu foi uma Senhora(já falecida) que se chamava Beatriz, e que cuidava das obras na igreja...
Sabe que eu gostava muito de ir aos cultos Dominicais e me lembro os hinos até hj...
Tinha um que dizia assim:
Dê um sorriso só,
Sorriso aberto,
Sorriso certo e cheio de amor.
Quem tem Jesus gosta de cantar
Está sempre sorrindo
mesmo qdo não dá
Tropeça aqui , oi,
Cai acolá,
Mais depressa levanta e começa a cantar...
Saudades desse tempo.

* O Cantinho da Lia * disse...

Ah, sobre o tema:
A ganância é raíz de todos os males né, a pessoa tentar subir de todas as formas, sem se importar com o próximo, ou com a ética,
Acho que é muito fácil ser honesto qdo a pessoa não está num meio favorável pra que cometa irregularidades ou falcatruas por ganância...
Mas se acaso a pessoa estiver no meio político, ou responsável por dinheiro, se ainda assim ela não fraquejar, será um honesto.
Resistir às tentações...

Elaine disse...

Boa noite...estava fazendo uma pesquiza para um trabalho escolar de minha filha e cá me deparei com seu blog. Adorei.Você fala com muita propriedade sem criticar nem mesmo ofender as demais religiões. Sou católica praticante e sempre tem aqueles que não quer somar e sim atirar pedras, ou seja, questionam sem nada explicar ou entender. Fique na paz de Nosso Senhor.

Carmen, filha idiotiva disse...

Rúbens:
Olá, meu pai "idiotivo"
Beijos para você e para a Aparecida
Gostei deste artigo...
Princípios são princípios, mas, realmente, muitos têm se desviado por amor ao dinheiro...
Me lembra daquele versículo que diz:
"Quem pensa estar em pé, veja que não caia" e "Ai do homem que confia no homem"
Beijos carinhosos